fbpx

PLUGIN

Conexão para Engenheiros, Arquitetos e Estudantes

Construção da ferrovia entre Cariacica e Anchieta pode render estação aduaneira para Guarapari

A construção da ferrovia no Espírito Santo denominada de EF-118, que vai ligar a Grande Vitória ao Sul do Estado, foi anunciada pelo Ministério da Infraestrutura (Minfra) e será viabilizado pela modalidade de investimento cruzado previsto na concessão da Estrada de Ferro Vitória Minas (EFVM), da Vale.

De acordo com o deputado federal Ted Conti (PSB), que acompanhou de perto o acordo para construção da ferrovia e esteve presente no Minfra quando foi oficializada a construção da mesma, a obra é uma conquista muito importante para a região Sul do Estado e deve atrair novas empresas para a região. “Nosso objetivo é aumentar a geração de emprego e renda, trazendo reflexos positivos para a economia local”.

Ainda de acordo com o parlamentar, a ferrovia deve alcançar o porto de Ubu, na Samarco, em Anchieta e poderá contribuir para alavancar as atividades da mineradora, que está retornando de forma gradual até 2030. Também permitirá que o porto opere com cargas gerais, não só com minério.

“Estamos analisando a possibilidade de instalação de uma estação aduaneira (Porto Seco) para Guarapari, que nada mais é do que uma área alfandegada de uso público em uma zona secundária. Ou seja, fora dos portos principais e próxima de regiões com grande volume de produtos a serem comercializados, tanto para importação como exportação de mercadorias”, explicou Ted Conti.

Ferrovia

A obra faz parte do primeiro trecho da Estrada de Ferro Vitória Rio, a EF 118, e é uma contrapartida à prorrogação da concessão da Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM), operada pela Vale. Além de realizar as obras do trecho, a empresa será a responsável pelo projeto executivo do ramal ferroviário. O Tribunal de Contas da União (TCU) autorizou a renovação antecipada dos contratos de concessão da EFVM e também da Estrada de Ferro Carajás (EFC), também administrada pela mineradora.

Renovações

Com as renovações antecipadas, aprovadas pelo TCU, a União prevê investimentos de R$ 21 bilhões por parte da mineradora. Da EFVM, os investimentos projetados são da ordem de R$ 8,5 bilhões, e R$ 9,8 bilhões estão previstos no contrato de renovação da EFC. Os processos também contam com a ferramenta de investimento cruzado, pela qual parte do valor da outorga paga pela Vale será usada para a construção de novas ferrovias, entre elas a que ligará Cariacica a Anchieta.

Também serão destinados R$ 2,73 bilhões à construção da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (FICO), entre Mara Rosa (GO) e Água Boa (MT). O trecho servirá para escoamento da produção de grãos do Vale do Araguaia até a Ferrovia Norte-Sul. O governo ainda quer usar parte da outorga para comprar material a ser utilizado na Ferrovia Oeste-Leste (FIOL), na Bahia.

Fonte: Folha OnLine ES

💥 #AtualizeSE no #GrupoHCT 💥
Oferecemos há 22 anos cursos EAD para Engenheiros, Arquitetos, Biólogos, Gestores e Estudantes.

▶️Sistemas Ferroviários – Métodos Construtivos:
http://webstore.grupohct.com.br

▶️Sistemas Ferroviários – Superestrutura:
http://webstore.grupohct.com.br

▶️Formação em Estradas:
http://webstore.grupohct.com.br

Deixe uma resposta